coronavirus microscopia 

 

A Veloce BioPharma informou que seu antisséptico Halodine demonstrou eficácia viricida rápida contra o SARS-CoV-2, o vírus que causa a COVID-19. O Halodine é um antisséptico de iodopovidona patenteado, desenvolvido em parceria com clínicos proeminentes, para administração nasal e oral frequente. Em experimentos conduzidos pelo Instituto para Pesquisa Antiviral da Universidade do Estado de Utah (The Institute for Antiviral Research at Utah State University), um laboratório BSL3+, as preparações do antisséptico nasal e oral patenteadas do Halodine®comprovaram que podem inativar rapidamente o SARS-CoV-2. Foi comprovado que o antisséptico é eficaz contra o SARS-CoV-2, mesmo em diluições tão baixas como 1/20 das soluções disponíveis comercialmente.

"Esse estudo mostra que uma solução nasal e oral não tóxica também é eficaz contra o SARS-CoV-2. Esse é o primeiro antisséptico baseado em iodo que já comprovou ter atividade contra o vírus que causa a COVID-19", disse o principal autor do estudo Jesse Pelletier MD FACS, do Ocean Ophthalmology Group (Miami, Flórida). "Agora que finalmente comprovamos a eficácia contra o SARS-CoV-2 das soluções de iodopovidona, que são seguras para a mucosa, podemos incorporá-las em nossos esforços de redução da transmissão da COVID-19". O Dr. Pelletier está liderando esforços para criar protocolos para o retorno seguro ao trabalho para clínicas ambulatoriais de oftalmologia e centros de cirurgia ambulatoriais.

 

Halodine e COVID-19

A família de antissépticos Halodine é baseada em iodopovidona enriquecida por polímero, que não é tóxica a superfícies mucosas. Eles são especialmente desenvolvidos para uso seguro e frequente no nariz e na boca. As altas cargas virais no nariz e na boca criam um risco de transmissão, especialmente em unidades de tratamento de saúde. Aerossóis e gotas nasais e respiratórias já comprovaram que podem ser a principal fonte de transmissão da COVID-19.

Aerossóis e gotas virais podem permanecer infecciosos por até três horas. Máscaras podem ajudar a proteger contra infecções, mas com antissépticos nasais e orais, que comprovaram ser eficazes contra o vírus, a transmissão por aerossol pode provavelmente ser reduzida. Máscaras sozinhas não podem eliminar o vírus. O Dr. Pelletier enfatizou: "Antissépticos nasais e enxagues bucais representam uma parte importante da redução das transmissões com máscaras, tal como lavar as mãos é importante com luvas".

"Há muito que ainda a aprender sobre esse novo coronavírus e seu comportamento", disse o diretor-médico da Veloce BioPharma, Samuel Barone MD. "Estamos trabalhando em terapias antivirais, baseadas em iodofor, em dermatologia e oftalmologia, há alguns anos. E o programa do antisséptico Halodine se desenvolveu com base nessa experiência. Nos sentimos extremamente encorajados por esses resultados que, pela primeira vez, demonstram eficácia contra o vírus que causa a COVID-19".

 

Com informações da Veloce BioPharma