avifavir coronavirus

 

O Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF) e o Grupo ChemRar anunciam que o Avifavir (medicamento que uso o princípio ativo favipiravir) recebeu registro temporário do Ministério da Saúde da Federação Russa para tratamento da COVID-19.

Segundo comunicado do RDIF o medicamento demonstrou eficácia no tratamento de pacientes com coronavírus durante os ensaios clínicos.

O avifavir atua interrompendo os mecanismos de replicação do novo coronavírus (SARS-CoV-2), é o primeiro medicamento antiviral produzido na rússia que demostrou bons resultados em ensaios clínicos. A droga tem sido bem estudada desde 2014 no Japão, onde é conhecida como Avigan, contra formas graves de infecções por influenza.

Em maio o Japão enviou gratuitamente o favipiravir para mais de 40 países testarem no tratamento da COVID-19 e iniciou o estudo de fase 3.

A fase final dos ensaios clínicos de Avifavir na Rússia envolvendo 330 pacientes, foi aprovado pelo Ministério da Saúde da Rússia em 21 de maio de 2020, e está em andamento.

“O afivavir não é apenas o primeiro medicamento antiviral registrado contra o coronavírus na Rússia, mas também é talvez o medicamento anti-COVID-19 mais promissor do mundo. Foi desenvolvido e testado em ensaios clínicos na Rússia em um período sem precedentes, permitindo que o Afivavir se tornasse o primeiro medicamento registrado com base no Favipiravir no mundo" disse Kirill Dmitriev, CEO do Fundo de Investimento Direto da Rússia.

 

Resultados do estudo com Avifavir (favipiravir):

- De acordo com os resultados dos 10 dias dos ensaios clínicos, o Avifavir demonstrou segurança sem nenhum efeito colateral novo ou não relatado anteriormente;

- A eliminação mediana do coronavírus levou quatro dias em comparação com nove dias com a terapia padrão;

- A eficácia do medicamento está acima de 80%, um critério para um medicamento com alta atividade antiviral;

- Após os primeiros quatro dias de tratamento, 65% dos 40 pacientes que tomaram Avifavir apresentaram resultado negativo para coronavírus, que é o dobro do que no grupo de terapia padrão. No dia 10, o número de pacientes cujos testes retornaram resultados negativos atingiu 90%;

- A temperatura corporal de 68% dos pacientes que tomaram Avifavir retornou ao normal mais cedo (no terceiro dia) do que no grupo controle (no sexto dia);

- A droga está sendo testada em Moscou, São Petersburgo, Tver, Níjni Novgorod, Smolensk, Ryazan, Kazan, Ufa e na República do Daguestão.

 

Mecanismo de Ação do Favipiravir

O favipiravir promove a inibição seletiva da RNA polimerase dependente de RNA viral. Ele também induz mutações letais na transversão do RNA, produzindo um fenótipo viral não viável.

 

Texto por Fábio Reis

* A reprodução é permitida desde que citada a fonte com link para https://pfarma.com.br