sputnik v vacina coronavirus

O CEO do Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF), Kirill Dmitriev, disse na quarta-feira que a Rússia está pronta para iniciar as entregas da recém-registrada vacina COVID-19 ao Brasil em novembro.

 

 

No início de agosto o RDIF e o estado do Paraná fecharam um acordo de cooperação para produção e comercialização da vacina desenvolvida pela Rússia contra o novo coronavírus batizada de Sputnik V .

“Vemos três elementos de cooperação com o Brasil na vacina: fazer ensaios clínicos, produzir a vacina, não só para o mercado brasileiro, mas também para toda a América Latina ... E estamos prontos para entregar a vacina ao Brasil, e essas entregas pode começar já em novembro. Isso torna a vacina russa muito diferente de uma série de outras, porque acreditamos que em novembro e dezembro poderemos entregar uma quantidade significativa da vacina ao estado do Paraná e ao Brasil como um todo ”. Dmitriev afirmou.

O CEO da RDIF também observou que a Rússia já havia transferido para o Brasil os resultados da primeira e segunda fases dos ensaios clínicos. Segundo Dmitriev, a Rússia gostaria de produzir cerca de 200 milhões de doses da vacina por ano, enquanto a capacidade atual prevê 60 milhões de doses.

Em 11 de agosto, o governo russo registrou oficialmente o Sputnik V como a primeira vacina do mundo contra COVID-19 . Embora a vacina ainda esteja em andamento com a terceira - última - fase dos testes clínicos, de acordo com os protocolos da Organização Mundial da Saúde, as autoridades de saúde russas disseram que ela provou a capacidade de produzir imunidade estável contra o coronavírus SARS-CoV-2.

 

Com informações da Agência de Notícias Russa Sputnik.