cannabis oleo cbd

O debate online e gratuito com profissionais e pacientes, sobre evidências científicas, mitos e entraves jurídicos para o uso de cannabis em tratamentos, acontece durante o Festival Raridades.

 

 

O debate Cannabis e Doenças Raras acontece na quarta, dia 11 de novembro, às 19h, e reúne pacientes, profissionais e especialistas na utilização e regulamentação de cannabis em tratamento de doenças raras. O evento gratuito será transmitido pelo canal oficial no YouTube e Facebook da ABRAF – Associação Brasileira de Apoio à Família com Hipertensão Pulmonar e Doenças Correlatas.

O debate visa discutir a fundo os mitos, benefícios, evidências científicas e entraves burocráticos e jurídicos do uso e cultivo da cannabis para o tratamento de doenças raras.  Também serão abordados o substitutivo ao Projeto de Lei 399/2015, que discute a regulamentação do cultivo de produtos à base de cannabis para fins medicinais e industriais e as experiências de pacientes que adotaram a cannabis em seus tratamentos. 

Para debater estes e outros temas foram convidados Viviane Sedola, fundadora da plataforma Dr. Cannabis que conecta pacientes e médicos que recomendam tratamento com maconha medicinal, a advogada Margarete Brito, importante ativista da cannabis medicinal no Brasil, a pedagoga Tatiana Moraes Costa, graduada em Ciências Biológicas e paciente da doença rara chamada Machado-Joseph, Ailane Araújo, que tem vasta experiência no manejo e ensino de cannabis medicinal, e o deputado Luciano Ducci, relator do projeto de lei sobre a liberação de medicamentos formulados com a planta cannabis, o PL 399/15.

O debate tem mediação da advogada Maria José Delgado, fundadora e CEO da MJDFAGUNDES – Consultoria Especializada em Saúde.

Para participar virtualmente, basta clicar aqui e fazer a inscrição, também é possível enviar perguntas, dúvidas e interagir com os convidados.

Há cerca de 7 mil doenças raras descritas, sendo 80% de origem genética e 20% de causas infecciosas, virais ou degenerativas. Somente no Brasil, 13 milhões de pessoas vivem com essas enfermidades, de acordo com dados do Ministério da Saúde.  

O estudo sobre a utilização de medicamentos à base de cannabis tem avançado e trazido esperança a estes pacientes. Milhares já utilizam e melhoraram a qualidade de vida com a diminuição dos sintomas, da dor.

O debate vem ao encontro da importância de incluir a população na discussão sobre este tema, podendo auxiliar muitas famílias em relação à utilização, tratamento, legitimação e regulamentação do uso medicinal da cannabis em caso de raridades e outras doenças.

  

Debate Cannabis e Doenças Raras

Data e horário: 11/11, quarta-feira, às 19h

Participantes: Viviane Sedola, Tatiana Moraes Costa, Margarete Brito, Ailane Araújo e  o deputado Luciano Ducci

Moderação: Maria José Delgado 

Site para inscrição: www.festivalraridades.com.br/