intercambialidade vacina covid19 pfizer astrazeneca

11 países recomendam e outros 4 autorizam completar a imunização com vacina da Pfizer para quem tomou a primeira dose da vacina da AstraZeneca.

 

 

Daniel Soranz, Secretário de Saúde da cidade do Rio de Janeiro, apresentou nesta terça-feira (29/6) um Panorama Acadêmico com seis estudos clínicos que demonstram a segurança e eficária na aplicação heteróloga de vacinas da Pfizer e AstraZeneca/Oxford contra covid-19.

Em sua rede social o secretário escreveu "Seguindo a recomendação do nosso comitê: As gestantes que tomaram a primeira dose da vacina astrazeneca poderão, mediante avaliação dos riscos e benefícios com seus médicos, realizar a segunda dose com a vacina da pfizer 12 semanas após a primeira dose."

Os dados apresentados basearam a decisão de autorizar que grávidas puérperas que receberam a primeira dose da vacina da AstraZeneca/Oxford possam receber a segunda dose da vacina da Pfizer para completar o esquema de imunização.

Ao todo onze países recomendam e outros 4 autorizam a aplicação da vacina da Pfizer como segunda dose (D2) da vacina de AstraZeneca.