hn1 gripe suina

 

"É importante, eu acho, tranquilizar as pessoas de que este não é um vírus novo -- este é um vírus que está sob vigilância", disse o Dr. Michael Ryan, diretor executivo do Programa de Emergências em Saúde da OMS, em uma coletiva de imprensa nesta quarta-feira, acrescentando que "esta é uma descoberta vinda da vigilância que tem sido realizada ao longo de muitos anos".

O vírus da gripe suína H1N1, semelhante à aviária da Eurásia, "está sob vigilância das autoridades chinesas e da rede global de vigilância da gripe em todo o mundo, e dos centros de colaboração da OMS", disse Ryan.

"Ele está sob vigilância desde 2011 e, de fato, a publicação mais recente é uma publicação de todos esses dados de vigilância ao longo desse tempo e, obviamente, relatando tanto sobre a evolução desse vírus dentro da população suína, mas também em termos de exposições ocupacionais aos trabalhadores ao longo desse tempo", explicou.

Uma equipe de pesquisadores chineses examinou os vírus da gripe encontrados em porcos de 2011 a 2018 e encontrou o genótipo variante 4 do vírus H1N1 semelhante à aviária da Eurásia (G4 EA H1N1), de acordo com um estudo publicado recentemente pela revista americana Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS).

"Precisamos ficar em constante alerta. Precisamos continuar realizando uma vigilância muito boa neste genótipo do G4 e esperamos que isso continue nos próximos meses e anos", enfatizou Ryan.

"É um trabalho muito importante... realizado em colaboração com o centro de colaboração da OMS no centro de controle e prevenção de doenças da China, com os outros centros de colaboração em todo o mundo, incluindo o Centro de Colaboração da OMS para a Gripe no centro de controle e prevenção de doenças de Atlanta, nos EUA, e mostra novamente a importância vital do sistema global de vigilância e resposta à gripe", acrescentou.

Em tempo da pandemia causada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2 matérias sensacionalistas com apelo de que está doença pode ser uma nova pandemia só causam confusão e desinforman mais do que informam.